2017-01-31

Estátua da Liberdade

my eyes could clearly see
the statue of liberty, sailing away to sea…
An American Tune, Paul Simon

Reconheço que a visita à Estátua da Liberdade é um lugar comum mas eu gostei de lá ir.
Gostei de todo o percurso desde o cais, em NYC, com uma aproximação cinematográfica que vai alterando a escala e a tomada de vista.
Há também a grande carga simbólica e ideológica da estátua, que vem de França para os USA.
A ESTÁTUA DA LIBERDADE!
E lembra os milhares de imigrantes que chegavam empilhados em navios e para quem o mesmo percurso de aproximação era sobretudo uma promessa de chegada.

E muitos dos que viveram esta experiência são avós dos atuais Americanos... Será possível pôr o filme a andar para trás?

2017-01-25

2017-01-23

Quinta do Ferro

Desde a primeira visita que esta vedação queria entrar para o meu caderno e acabou por ficar demasiado forçada. As verticais tombadas, os cabos elétricos estragando a composição, a coincidência do ângulo dos cabos com o skyline...
Precisava de uma prancheta maior, de mais tempo e de algumas medidas, mas continuo achando que esta vedação se presta e merecia melhor.
A composição, a diversidade de materiais em layers sobrepostos, o ritmo que acelera e atrasa... parece um "catálogo da Quinta do Ferro"
Algum artista mais apto que se atire ao tema.

2017-01-19

Quinta do Ferro


Vidas paralelas na Quinta do Ferro.

2017-01-15

"Depois da Tempestade"

Sou completamente adverso às questões da bagagem que levaria para uma ilha deserta e sou incapaz de me decidir pelos top of the pops mas, das aguarelas que conheço do Roque Gameiro "DEPOIS DA TEMPESTADE" é seguramente das minhas preferidas e está na exposição ROQUE GAMEIRO, UMA FAMÍLIA DE ARTISTAS.
É uma vista das rochas da Praia da Ursa.
Curiosamente não foi possível encontrar nenhuma referência a anteriores exposições deste quadro - ao contrário do primeiro estudo para este mesmo tema, que está no Museu de Aguarela Roque Gameiro.
Uma ocasião única, portanto, para ver esta beleza.


2017-01-12

Praia da Ursa, em dia de nevoeiro.

Uma das vantagens do urban sketching é que, independentemente dos resultados, andando com o meu caderno e canetas me sinto próximo de tantos Artistas que já fizeram o mesmo. Vou-lhes dizendo:
"Eu sei que não lhes chego às canelas mas com muita lata e enorme gozo vou olhando e bonecando com as mesmas ferramentas e nos mesmos sítios."
E é isso que penso quando vou desenhar para a Praia da Ursa onde Roque Gameiro pintava frequentemente (até pintou a Pedra da Ursa que eu nunca cheguei a conhecer).
Na exposição que abre amanhã estará um dos quadros que eu mais gosto: DEPOIS DA TEMPESTADE, pintado exactamente... na Praia da Ursa.

2017-01-11

Monsaraz

Um desenho muito antigo que, por qualquer razão, na altura ficou sem ir ao blog.

2017-01-10

Roque Gameiro, Uma Família de Artistas.

Em plena montagem da exposição.













Colégio Moderno

Apesar de tudo hoje houve aulas. Mesmo para o pré-escolar.

2017-01-05

À espera...

... no C S Benfica.

2017-01-04

À espera...

... no Urbanismo da CML.

2017-01-03

Quinta do Ferro

Desta vez fui mais cedo e ainda fiz três ou quatro desenhos mas, há tanto para ver, que nem saí da mesma esquina.
Apesar de tudo este último desenho foi feito já ao lusco fusco e tive de acabar de o aguarelar em casa.

2017-01-02

Quinta do ferro

Um bairro cheio de recantos e pontos de vista para desenhar.