2011-09-15

Saldanha

Entre os dois edifícios havia uma figueira, que teimava em renascer com uma força natural quase tão forte como a energia com que ia sendo podada.


Durante muitos anos estiveram abandonados e foram entristecendo.

Nos últimos tempos, graças a uma feliz iniciativa dos Serviços Culturais da CML, foram tela para graffittis.

Antes de férias foi demolido o primeiro. Ainda cheguei a tempo de ver uma caterpiller cavalgando um enorme monte de destroços.

Agora parece o ground zero.

A ver se temos outra surpresa como a do Nº21 da mesma praça…

1 comentário:

Fred Barreto disse...

Nem deram tempo ao grafitti de secar...