2009-06-15

Gato bravo



Ontem à noite, a caminho de casa, vimos um gato bravo.
Listado, cauda espessa e anelada, olhos cor de laranja…
Dantes era comum, mas hoje é raro.

Dantes, na aldeia onde vivia, toda a gente cozinhava a lenha, que era apanhada na serra. Havia mesmo quem vendesse lenha miúda própria para os fogões e fizesse disso profissão.
Os pinheiros eram todos sangrados para extracção de resina.
Havia rebanhos que passavam serra acima, serra abaixo.
Havia uma família que passava os dias na serra e que todas as madrugadas exportava duas camionetas de verdura para Lisboa.

Agora moro num parque natural.
É proibido apanhar lenha.
É proibido sangrar os pinheiros.
É proibido criar rebanhos.
É proibido cortar árvores.

Ninguém usa a serra. Os trilhos desapareceram. Apenas alguns estradões (de circulação proibida) são mantidos artificialmente para tentar o combate aos incêndios. A vegetação nasce e morre sem controlo. Os cortes e limpezas estão na mão de alguns lenhadores que se dão bem com o Parque. Nem foram criadas as brigadas de sapadores que existem noutros parques. A limpeza das matas sem qualquer actividade de suporte é altamente dispendiosa e regulamentada de forma a ser possível apenas pelos tais lenhadores especializados. A camada morta chega aos dois metros de altura e é explosiva em termos de perigosidade para incêndios. O sol não chega ao chão e a erva não cresce. Os coelhos não têm de comer.

A última raposa que vi foi há 25 anos.
Os gatos bravos são uma raridade.

5 comentários:

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rodrigoalonsocuesta disse...

Olá a todos, foi um prazer vos conhecer e aprofundar no tema do Diário Gráfico. Fiz um relatório sobre os encontros em Monsaraz do dia 2 de maio. Podem ver _o no meu blog. Espero que gostem.
E vemos-nos em Jaca com novos desenhos!
Cumprimentos.

JASG disse...

Pois é Pedro, mas temos uma rapaz lá da Madeira que joga bem à bola... E isso aparentemente é suficiente.

Abr.

josé louro disse...

Tudo muda Pedro. Algumas coisas para melhor ;)

susana disse...

nunca tinha pensado nisso, acho mesmo que nunca vi um gato gravo, mas raposas ainda aparecem por aqui :) há sempre um lado positivo em tudo...